A meningite meningocócica (infecção das membranas que recobrem o cérebro) certamente está entre as doenças mais temidas por sua alta taxa de complicações e mortes. Ela é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo) e é mais grave quando atinge a corrente sanguínea, provocando meningococcemia, ou doença meningocócica (DM). No Brasil a DM é mais frequente entre crianças com até 5 anos.

Cinco tipos de meningococo causam a maioria dos casos de DM. São eles: A, B, C, W e Y. O sorogrupo mais frequente no Brasil entre todas as idades é o C, mas o sorogrupo B é hoje o mais predominante entre as crianças. E por isso essa vacina é muito importante. Não deixem de conferir neste post todas as informações sobre essa vacina.

1. O que previne?

Meningites e infecções generalizadas (doenças meningocócicas) causadas pela bactéria meningococo do tipo B.

2. Do que é feita

Trata-se de vacina inativada, portanto, não causa infecção.

3. Indicação:

Para crianças e adolescentes, conforme recomendações das Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm). Para adultos com até 50 anos em situações especiais.

4. Esquema de doses:

Para crianças as Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso ro tineiro de duas doses e um reforço da vacina meningocócica B: aos 3 e 5 meses de vida e entre os 12 e 15 meses. O esquema, no entanto, pode variar de acordo com a idade de aplicação da primeira dose (de acordo com o quadro a seguir).




5. Cuidados antes e após a vacinação:

  • A administração de paracetamol antes ou logo após a vacinação pode reduzir o risco de febre e não interfere na resposta imune à vacina;
  • Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora;
  • Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação;
  • Pode ser aplicada no memso momento em que as vacinas meningocócicas ACWY ou C.

6. Efeitos adversos:

  • Crianças com menos de 2 anos: febre alta com duração de 24 a 48 horas;
  • Crianças até 10 anos: perda de apetite, sonolência, choro persistente, irritabilidade, diarréia, vômitos, erupções na pele, sensibilidade no local da aplicação e reações locais (dor, calor, vermelhidão, inchaço);
  • Crianças maiores de 11 anos: cefaleia, náuseas, dor nos músculos e articulações, mal estra e reações locais, como inchaço, endurecimento, vermelhidão e dor. A dor pode ser muito intensa, atrapalhando a realização das atividades cotidianas.

7. Onde pode ser encontrada:

Apenas nos serviços privados de vacinação.